O fim do monopólio na tv não depende das redes, depende de você

20/12/2011 15:41

 

 

Nós, telespectadores, não queremos uma rede dominando tudo. Isso fecha as portas para o mercado das notícias. Aqui no Brasil sabemos muito bem o que acontece quando a informação é monopolizada, basta lembrarmos das Diretas Já ou da eleição do Collor. Queremos a certeza de que se uma rede esconder determinada notícia a outra logo corre à frente nos mostrando nova versão.
 
Queremos variedade em programação, enquanto uma se especializa em novelas, a outra poderia trabalhar melhor com shows ou seriados. O que seria das pessoas se houvesse somente a Globo? Como ficariam os tipos pouco afeitos ao mundo noveleiro? Queremos ver as 3 redes bem próximas nas pesquisas pois com isso as empresas de marketing dividirão melhor o bolo, oxigenando nossa dramaturgia, viabilizando bons contratos com as produtoras, contratando excelentes jornalistas.
 
Este negócio de apenas uma rede dominar é medonho. Como pode permitirmos monopólio na tv aberta, partirmos para a tv paga e enxergarmos o mesmo império dominando, abrirmos as revistas ou ouvirmos os rádios e, novamente, darmos de cara com a mesma rede? Como pode isso!!! E quanto mais o tempo passa, mais fortalecida fica esta situação. Mais verba entra para os cofres do mesmo grupo, melhor pagos são os funcionários, mais inatingível fica o grande castelo.
 
Queremos um SBT forte, uma Record com grandes índices, uma Cultura satisfeita, novelas e minisséries em todas as grades, artistas contratados e, principalmente, liberdade para o telespectador escolher. Todos os dias deveríamos fazer algo contra o monopólio, deveríamos nos acostumar a zapear pelos canais e escolhermos uma emissora diferente à cada dia. E permanecermos nela durante uma hora. Mas isso não é possível. A diferença de qualidade entre elas é enorme. É impossível alguém acostumado com as novelas globais sentir-se bem diante do esforço do SBT ou da Record. Nesta última até mutantes já desfilaram pela tela. Imagine! Não dá para pararmos diante do jornalismo “puro sangue” dos noticiários das emissoras que lutam por simplórios 5 pontos. Não dá. Não tem como comprarmos Macho Man ou A Grande Família com os petiscos da Band. É muito desproporcional. É oferecer parmegiana para a visita, comendo guisado de segunda.
 
O mérito global foi usar bem as oportunidades. A história desta rede é repleta de vitórias e quando derrotados, repleta de aprendizagem. Não se criou um monstro em se tratando de cast, mas ele existe quando percebemos o monopólio. Enquanto isso acontecer, nossa tv não merece ser respeitada. Enquanto em outros países os programas brigam para conquistar o primeiro lugar em determinados horários, aqui isso inexiste. As concorrentes suam pelo segundo lugar e mesmo assim não vale à pena pois é para conquistar insignificantes 5 pontos. Três vezes menos do que o primeiro lugar.
 
Deverá existir em nós esta vontade de abrirmos caminhos, de viabilizarmos novas idéias, de fortalecermos outros mundos, no entanto ainda estamos no primevo mundo da ignorância televisiva. Favorecemos apenas um lado da versão, ainda não partimos para a luta contra a hegemonia.
 
Record, você tentou, assim como a Manchete e o SBT. Record, você chegou ao cúmulo de dedicar uma rede inteira para as notícias mas recebeu em troca o traço. Manchete, você conseguiu o que era quase impossível, acabar com a audiência das novelas globais, conseguiu trazer o mundo dos inéditos para nossa telinha mas hoje jaz no mesmo cemitério onde Assis Chateubriand está. SBT, você já assinou contratos caríssimos com Disney e Warner para nos trazer qualidade e hoje ri enlouquecidamente quando consegue 7 pontos de audiência. Nós, telespectadores, temos que acabar com isso, e é fácil, basta nos esforçarmos e darmos uma olhada nos outros canais. Quem sabe um CQC nesta segunda ou um Aprendiz na terça. Neste domingo, vá lá, vamos degustar O Último Passageiro na Redetv. Vamos dar força à estes esforços. Caso contrário, alimentaremos ditadores. Daremos chance para novos Hitlers, Stalins, Mao Tses, Fidéis e gente deste tipo.
 
Neste final de semana, leitor, peça para seu vizinho mudar de canal quando estiver travado em apenas uma rede. Se estiver no SBT durante muito tempo, migre para a Record. Faça isso diante dos seus filhos, dos seus parentes. Mude! Faça isso por você. Aproveite a onda de final de ano, tão repleta de novas idéias e fortaleça o mundo da diversidade. Quando você perceber que está travado na Redetv, passe uma hora na Cultura, assista o canal local, tome um cafezinho diante de outra rede. Migre, conheça, seja diferente. Vamos fazer de 2012 o ano da mudança televisiva, vamos comentar com todos sobre algum programa diferente visto em outra emissora. Fale sobre o Megasenha, sobre o Milhão na Mesa, sobre o House, sobre o longevo Roda Viva. Façamos a virada que a Record não conseguiu, que o SBT sonhou, que a Manchete vislumbrou. Nós, simples mortais, somos mais poderosos que os Macedos, os Sílvios Santos, os Blochs da vida. Somos os telespectadores, e é por nós que eles devem trabalhar.
 
Texto: @cleomarsantos
 
 
 
Leia mais: http://tvfoco.pop.com.br/page/5/#ixzz1h67t67xr